logo-beeon-agencia-de-marketing-digital

Mídia Programática: saiba o que é e as principais vantagens de implementar

Por Irine Bueno 18/05/2023
Compartilhe

Com a revolução do mercado publicitário, a Mídia Programática chegou para transformar a forma como as marcas se comunicam com seus consumidores. 

 

Há algum tempo atrás, o processo de compra de espaços publicitários na internet era totalmente manual e por isso gastavam muito tempo. Afinal, para se fazer um anúncio, primeiro era necessário negociar com cada site onde o mesmo seria exibido. 

 

E para automatizar a forma como esses anúncios eram feitos, poupar grande parte do tempo gasto com o assunto e alcançar públicos ainda mais precisos, a Mídia Programática foi desenvolvida.

 

Quer saber mais sobre essa evolução e como implementar a mídia programática à suas estratégias? Continue essa leitura. 

O que é a mídia programática?

Como já comentamos, a mídia programática foi um meio de otimizar a forma como a compra de espaços publicitários na internet eram feitas. Assim, pode-se dizer que a publicidade programática é a forma mais eficaz de se anunciar no mercado. 

 

Com a implementação dessa estratégia, é possível utilizar plataformas tecnológicas que facilitam e aprimoram a compra da publicidade digital. 

 

Além de simplificar as negociações, também são utilizados dados que evoluem as estratégias e otimizam os investimentos para melhores resultados, como o monitoramento dos dados do tráfego online e do comportamento dos usuários das redes, o que permite configurar o anúncio com base nesses perfis.

Como essa estratégia funciona?

A forma como a mídia programática funciona pode ser um pouco mais complexa do que os modelos tradicionais. Afinal, essa conta com o envolvimento de diferentes empresas e um novo formato de compra. 

 

Ao contrário das formas tradicionais que estamos acostumados em ver na publicidade, como preços determinados para diferentes horários e faixas de programação, a compra desse novo método é feita através de leilões e calculada como CPM - Custo por Mil Impressões. 

 

Para melhor entender, é importante saber que a compra e venda deste tipo de mídia é feito através de plataformas específicas, onde os publishers - donos de sites - divulgam seus inventários - os espaços publicitários disponíveis para comercialização.

 

A partir daí, o processo é todo automático, onde as empresas interessadas em anunciar irão consultar e fechar suas compras por meio destes sistemas, sem a necessidade de alguma interferência humana, como acontecia antigamente. 

 

Além disso, esses sistemas também utilizam de ferramentas de algoritmo que podem analisar o comportamento do usuário e garantir que o anúncio alcance o público certo no momento ideal.

 

Ou seja, é assim que a estratégia otimiza os gastos com a publicidade paga.

 

Mas lembre-se, mesmo com toda a automatização, é importante que sua equipe entenda bem o seu público, para que toda a campanha anunciada seja atrativa e converta o usuário

 

Afinal, de que adianta encontrar o público perfeito no horário perfeito se o seu conteúdo não é relevante. 

Como fazer mídia programática?

Agora que você já entendeu como esse tipo de estratégia funciona, está na hora de aprender como criar uma campanha de mídia programática de alto desempenho. Confira o passo a passo. 

 

1- Entenda as estratégias

As campanhas anunciadas através da mídia programática podem ser operadas através de uma Demand Side Platform (DSP), um software onde é possível configurar os anúncios e acessar os inventários de mídia disponibilizados pelos publishers. 

 

A partir daí, acontece o comentado leilão em tempo real, onde o anunciante com o lance mais alto por determinado espaço, ganha a impressão para veicular sua mídia. 

 

Além disso, também é possível utilizar as Data Management Platforms (DMP) para extrair informações qualitativas sobre a audiência, para assim segmentar os usuários através de diferentes informações de interesse e definir as estratégias de forma mais assertiva

 

Dentre as estratégias, podemos citar as principais como: 

 

  • Conteúdo semântico;

  • Whitelists;

  • Third Party Data;

  • Retargeting;

  • Onboarding de dados;

  • Entre outras. 

2- Comece a planejar sua campanha

Assim como em qualquer estratégia de marketing, para a mídia programática também é necessário criar um planejamento de acordo com as tendências do seu mercado de atuação. 

 

Além disso, também é importante seguir outros pontos com muita atenção, como:

 

  • Definir um objetivo para a campanha;

  • Conhecer o seu público alvo; 

  • Desenvolver peças criativas que despertem a atenção dos usuários.

 

3- Escolha sua DSP e automatize o processo

 

Para colocar em ação qualquer mídia programática, é preciso ter acesso a uma DSP, aquele software de configuração comentado acima. 

 

Essas ferramentas serão responsáveis pelos lances e compras dos espaços para seus anúncios, por isso é importante que elas sejam rápidas e com um grande poder de processamento. 

 

Assim, os lances e compras irão ocorrer de forma mais rápida e precisa. Lembre-se que o investimento em uma boa DSP é o investimento em automatização.

4- Acompanhe todas as métricas

 

Para saber se sua campanha de mídia programática está ou não funcionando basta medir seus resultados com os indicadores de desempenho

 

Assim, é possível obter dados como retorno sobre investimento (ROI), número de cliques, porcentagem por preço pago por lance em relação ao preço alvo, entre outras métricas. 

Quais as vantagens da implementação dessa estratégia?

 

Direcionar a veiculação de suas campanhas para o público certo é apenas um dos diversos benefícios dessa estratégia. Além deste, também é possível:

 

  • Melhorar a performance da campanha

Ao criar suas campanhas com base no comportamento do seu consumidor é um fator relevante para alcançar grandes resultados e garantir um maior diferencial competitivo. 

 

  • Otimização em tempo real

Com as ferramentas de otimização, as vantagens também são em tempo real. Com a mídia programática é possível analisar os números gerados pela campanha antes mesmo dela acabar. Assim, em casos de baixos resultados, é possível fazer alterações para um melhor desempenho. 

 

  • Maior alcance dos consumidores

Com a captação e a análise de dados gerados pela publicidade programática, hoje é possível gerar ações melhores e mais emocionais, atingindo uma escala ainda maior de consumidores. 

 

  • Qualificação dos anúncios

Com a eficiência e a otimização da forma como esse tipo de anúncio atinge o consumidor é possível garantir a qualificação das novas campanhas, com um melhor aproveitamento para a exposição da marca nos espaços comprados. 

 

  • Custo-benefício mais atraente

Com a mídia programática, hoje não se trabalha mais com a compra de espaços para se exibir um anúncio, mas sim, os determina com foco no público alvo, estratégia que traz um aproveitamento muito maior dos recursos. 

 

  • Mais monitoramento

Como dissemos, a forma de monitoramento dessa estratégia é feita com base nos dados em tempo real. Um grande diferencial e benefício da mídia programática. 

 

  • Maior escalabilidade

Antes da mídia programática, o processo de negociação para a divulgação de anúncios era feito de forma manual, trabalho que hoje pode ser feito de forma automatizada e que garante o direcionamento dos anúncios nos sites que interessam o público.

 

Agora que você já conhece a mídia programática, seus diferenciais e suas vantagens, que tal colocar em prática toda essa estratégia para alcançar o sucesso para o seu negócio?

 

Para isso, contar com um profissional qualificado pode fazer toda a diferença para evitar investimentos desnecessários e veicular suas campanhas de forma assertiva

 

Entre em contato com nossa equipe para garantir todas as orientações necessárias para turbinar seus resultados e se destacar entre os concorrentes!

Veja Também

© 2016 - 2024BeeOn Marketing - Todos os direitos resevados. - Política de Privacidade